13 de novembro de 2018
Ônix se dedica à vacinação do rebanho contra a febre aftosa

Sempre atenta à saúde do rebanho, a Ônix Agropecuária iniciou a vacinação dos animais contra a febre aftosa. Esta é a segunda etapa da campanha, realizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em maio e novembro. Até o fim deste mês, a fazenda imunizará cerca de cinco mil animais, que estão distribuídos nas unidades de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

“Nossos esforços são para proteger os bovinos contra essa infecção, que causa lesões ulcerativas nos membros e boca e pode levar os animais à morte. Trabalhamos todo um planejamento da febre aftosa para que os animais tenham a sanidade necessária para a produção de carne de qualidade”, destacou Carlos Mestriner, proprietário da Ônix.

Nesta fase da campanha, serão vacinados somente os bovídeos (bovinos e bubalinos) até 24 meses. No estado de São Paulo, a estimativa é imunizar cerca de 4,6 milhões. Desse montante, quase 150 mil animais são de municípios que compreendem o Escritório de Defesa Agropecuária de Araçatuba (EDA).

A vacinação contra a febre aftosa deve ocorrer dentro do prazo estabelecido pela legislação, ou seja, de 1º a 30 de novembro. Depois de concluída, o criador tem até o dia 7 de dezembro para comunicar a vacinação ao órgão oficial de Defesa Agropecuária diretamente no sistema GEDAVE (https://gedave.defesaagropecuaria.sp.gov.br/). 

Mudança no calendário 

Segundo Jesualdo Gonçalves Filho, médico veterinário e assistente de Planejamento do Escritório de Defesa Agropecuária de Araçatuba, este ano, o estado adotou uma nova estratégia de imunização contra a doença, para uniformizar o sistema com o calendário dos demais estados da Federação, com vistas à retirada da vacinação em 2021. “O calendário ficou definido com a primeira etapa sendo realizada no mês de maio com a vacinação de todos os bovídeos independente da idade e a segunda etapa sendo realizada no mês de novembro com a vacinação de bovídeos de zero a 24 meses de idade”, explicou.

Retirada da vacinação

O EDA destacou que a retirada da vacinação contra a febre aftosa está prevista no Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, do Mapa. Para São Paulo, que pertence ao grupo IV, juntamente com os Estados da Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe e Tocantins, a previsão é em 2021.






(18) 3623-1069 | 3643-7002